Instituição sem fins lucrativos ganha um dos principais prêmios do programa

18/01/2017

O Lar do Menor Siqueirense, instituição de Siqueira Campos, no Norte Pioneiro, que atende 300 crianças entre 4 e 14 anos de idade, foi sorteada com um dos principais prêmios mensais do Nota Paraná. É a primeira vez que uma entidade sem fins lucrativos ganha um dos três maiores valores do programa de cidadania fiscal. Os prêmios do 14º sorteio do Nota Paraná foram entregues nesta quarta-feira (18) em Curitiba pelo Governador Beto Richa.
O Lar do Menor Siqueirense levou o segundo maior prêmio, no valor de R$ 30 mil. A bancária Maria Adelaide Sanches de Oliveira, de Curitiba, recebeu R$ 20 mil e o vendedor Douglas Willian Rodrigues, de Campo Mourão, ganhou o maior sorteio dessa edição, no valor de R$ 50 mil. 
“Fico muito feliz que por intermédio de programas e ações do nosso governo possamos beneficiar tantas entidades e agora conceder esse prêmio”, disse o governador. “São entidades que têm um trabalho reconhecido na área de apoio social. Se tivéssemos mais iniciativas como essas certamente teríamos uma sociedade muito melhor”, afirmou Richa. 
Para o secretário estadual da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, com o Nota Paraná o Estado compartilha os resultados do ajuste fiscal com as pessoas que acreditaram no programa. “Além de créditos, esses cidadãos e entidades estão recebendo prêmios, como é o caso do Lar do Menor Siqueirense”, disse Costa. 
 Até agora, entre créditos e prêmios, o Nota Paraná já liberou R$ 369 milhões aos participantes. As instituições que se cadastraram no programa e pediram doações de notas já ganharam R$ 10,1 milhões, sendo R$ 8,3 milhões em créditos e R$ 1,8 milhão em prêmios. Em janeiro, elas levaram R$ 2 milhões em créditos e R$ 472 mil em prêmios. 
CIDADANIA - Das 861 entidades cadastradas no programa, 638 são da área da assistência social. O presidente do Lar do Menor Siqueirense, João Carlos do Amaral, disse que com o prêmio de R$ 30 mil será possível reformar a cozinha e construir salas novas para as crianças. 
Fundado em 1985, o lar atende crianças de 4 a 14 anos e em 2017 pretende ampliar o número de jovens atendidos de 300 para 350. O lar oferece, no contraturno escolar, reforço educacional e também aulas de capoeira, karatê, dança, violão, fanfarra, música, teatro, bordado, costura e informática. 
Somente com os créditos do Nota Paraná, o Lar recebe cerca de R$ 5 mil por mês, o que representa 20% do orçamento da instituição. Ao todo já foram recebidos pelo lar R$ 37 mil em créditos do programa, que foram aplicados em reformas como troca de forro, pintura de paredes e a transformação de uma antiga marcenaria em sala de aula. “Sempre vivemos dos recursos da comunidade e o programa Nota Paraná tem sido extraordinário para o Lar do Menor Siqueirense. Além disso estimula a cidadania fiscal e reduz a sonegação”, afirmou João Carlos do Amaral. 
PLANOS - Com R$ 50 mil do prêmio recebido hoje, o vendedor Douglas Willian Rodrigues, de Campo Mourão, pretende trocar o carro e guardar o restante e “ver o que vai acontecer no futuro”. “Foi uma surpresa. No início, quando recebi a ligação da Receita Estadual, achei que era um trote. Nem esperava ganhar um prêmio alto”, diz ele, que sempre pede CPF na nota nas compras do supermercado e no comércio. “Tem gente da minha família que não pedia nota, mas agora, com o meu prêmio, também passou a pedir”, contou. 
Para a bancária Maria Adelaide Sanches de Oliveira, que ganhou o prêmio de R$ 20 mil, o programa Nota Paraná serve como estímulo para que as pessoas peçam o CPF na nota fiscal. “É muito bom ganhar o prêmio, mas o programa permite ainda que mais recursos sejam revertidos para o cidadão com investimentos em segurança, saúde e educação. Muita gente esquece de pedir o CPF na Nota, mas com os créditos e a possibilidade de ganhar prêmios passou a incorporar esse comportamento na sua rotina”, disse ela. 
TODOS GANHAM - O governador Beto Richa ressaltou que com o Nota Paraná todos ganham. “É um programa que reduz a sonegação fiscal e a concorrência desleal e reduz a carga tributária individual, na medida em que retorna ao contribuinte 30% do valor recolhido pelo estabelecimento. Com menos sonegação, temos mais dinheiro para aplicar em benefício da população, em áreas como educação, saúde, segurança e estradas”, lembrou.
Richa lembrou que a implantação do Nota Paraná é uma das medidas do ajuste fiscal realizado nos últimos dois anos, que hoje permite que o Estado tenha uma condição fiscal e financeira considerada a melhor do País. “Se não tivéssemos feito o ajuste fiscal, estaríamos como Estados que hoje decretam calamidade financeira. Se esses Estados fossem uma empresa, seria como decretar uma concordata”, disse. 
 Além de devolver parte do imposto pago pelos contribuintes em compras do varejo, todos os meses o programa conta com sorteios de 250 mil prêmios em dinheiro. Os três maiores são de R$ 50 mil, R$ 30 mil e R$ 20 mil e, em datas especiais, como o Natal, mês das mães, dos namorados, dos pais e das crianças, os valores são quadruplicados. Os outros prêmios têm valores menores, de R$ 10, R$ 20, R$ 50, R$ 250 e R$ 1 mil. 
 Até agora, foram distribuídos 3,5 milhões de prêmios em 14 sorteios, que somam R$ 42 milhões. O Nota Paraná já possui 1,33 milhão de cidadãos cadastrados, sendo 861 instituições. Toda primeira compra do mês gera um bilhete, independentemente do valor. Depois, cada R$ 50 em notas fiscais dá direito a um novo bilhete, com validade apenas para o sorteio do seu respectivo período (o sorteio é realizado quatro meses depois). O mesmo CPF pode receber mais de um prêmio no sorteio.
As instituições sem fins lucrativos que participaram do sorteio fizeram cadastro, conseguiram doações de notas fiscais de compras do varejo e também tiveram direito a parte do imposto pago pelos varejistas. São beneficiadas pelo programa instituições de saúde, assistência social, defesa e proteção animal, desportiva e cultural.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.